segunda-feira, agosto 23, 2004

A inteligência

A inteligência é a capacidade que permite a adaptação e o domínio de novas situações. Manifesta-se na compreensão, aplicação, interpretação e estabelecimento de relações e de conexões que tenham sentido.A inteligência é o espírito universal da Natureza que se manifesta desde o mais ínfimo e simples organismo até ao mais complexo, de que fazem parte todos os seres vivos, que no seu conjunto formam aquilo a que chamamos vida, dependendo a existência desta do equilíbrio harmonioso entre aqueles.
Os cientistas continuam a procurar o Santo Graal da Humanidade, ou seja, qual foi o nosso ancestral que pela primeira vez teve o privilégio de usar a inteligência, o que o distinguiria das outras espécies animais.
Esta procura da primeira inteligência só vem provar que a maioria das pessoas pensa que a inteligência é propriedade exclusiva do género Homo, mais especificamente do Homo sapiens sapiens se a graduarmos quantitativa e qualitativamente.
Atribuir ao Homo sapiens a exclusividade da inteligência, parece-me um fundamentalismo científico egocêntrico, mas quantificá-la em relação aos nossos antepassados, o erro é ainda muito maior.
Será que o Homo sapiens sapiens actual é mais inteligente que o Homo habilis, só porque este não tinha computador ? Ou que o género Australopitecos é menos inteligente que o género Homo por não possuir uma posição erecta tão desenvolvida?
Comparações impossíveis. A inteligência manifesta-se de acordo com as condições em que se vive, e do que é necessário à sobrevivência. O que para nós não representa nada de importante como a feitura de micrólitos, estes objectos foram indispensáveis à vida de quem os fabricou e são manifestação evidente da inteligência.
É a inteligência que permite o desenvolvimento tecnológico, e este o trampolim para a evolução seguinte.
Os nossos ancestrais, só com muita inteligência conseguiram evoluir, permitindo que nós sejamos o que hoje somos.
Viajemos ao futuro ao encontro do ser que habitará a Terra daqui a um milhão de anos, e imaginá-lo a encontrar um fóssil do Homo sapeins sapiens actual.
Não sei como será esse ser, mas de certo será tão diferente de nós que não pertencerá ao género Homo, mas a outro género devido às suas características muito mais evoluídas em relação a nós.
Possivelmente, na sua escala classificativa da inteligência, vai nos classificar da mesma forma que nós classificamos o nosso ancestral Australopitecos. O computador para ele, terá a mesma importância que uma pedra lascada tem para nós, tal será o seu avanço tecnológico. Da mesma forma que nós fazemos, ao tentarmos encontrar um ponto de partida para a inteligência, esses seres futuros, também possivelmente irão demarcar uma etapa a partir da qual a sua super inteligência começou a desenvolver-se.
Rude golpe no egocentrismo do Homo sapiens sapiens, que se julga ser mais inteligente
do que os seus ancestrais. Deixar de ser o último patamar da inteligência, para passar a ser somente um degrau.
Os nossos ancestrais não podem defender a sua inteligência, esta é somente a que o Homo sapiens sapiens quer que fosse.

A inteligência não é exclusividade do Homo sapiens sapiens (homem moderno). Ela sempre esteve presente em todos os ancestrais do homem com a mesma vitalidade que existe hoje. Não era inferior, somente se manifestava de acordo com o ambiente em que viviam esses ancestrais e as suas próprias necessidades. A inteligência que dominou o fogo será inferior à que inventou a luz eléctrica? A.D.

8 Comments:

Blogger stillforty said...

Bom começo para o teu blog ;) ainda por cima com o Einstein como perfil

3:51 da tarde  
Blogger chemistry said...

A inteligência não é exclusiva do homem, gostei do que li e como é um começo dou-lhe as boas vindas.

7:01 da tarde  
Blogger trintapermanente said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

7:02 da tarde  
Blogger JPN said...

tive uma professora que há muitos anos, como se fosse uma pequena revolução nas nossas maneiras de pensar veio colocar as questões do QI exacatmente deste modo: a capacidade de adaptação a novas situações. obrigado portanto por este começo.

7:24 da tarde  
Blogger augustoM said...

stillforty
Obrigado, prometo continuar.

8:22 da tarde  
Blogger augustoM said...

wearetwo

Obrigado pelo seu amável comentário, espero que continue a apreciar os próximos posts.

8:30 da tarde  
Blogger augustoM said...

Trintapermanente

Deve haver um erro de comunicação. Não insultei o teu post. ;-)

8:33 da tarde  
Blogger augustoM said...

jpn
Obrigado pela sua visita e comentário que muito apreciei. O QI é uma forma de graduar a inteligência, que tenderá à selecção e esta por sua vez à descriminação. A inteligêngia é uma coisa muito mais abrangente do que a simples faculdade de se conseguir compreender e raciocinar mais rapidamente. Cuidado porque há pessoas com um elevado QI e têm comportamentos verdadeiramente pouco inteligentes.

8:59 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home